.mais sobre mim

.Ultimos Luares

. Escolher um caminho....

. encontro

. caminhos cruzados.....

. Simplesmente adeus...

. Renascer das Cinzas . . .

.Luares Passados

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Maio 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

Segunda-feira, 14 de Junho de 2004

Medo

Frosted English Rose2.jpg
Sentei-me e peguei em ti coração com o cuidado de uma flor fragil. Com as pontas dos dedos percorri cada canto...cada recanto teu, parando em cada cicatriz, em cada ferida para sempre aberta por quem de ti abusou....Desculpa-me dizem as lágrimas que deixo derramadas em ti...desculpa-me por duvidar da voz que bem me faz sentir que me oferece o que sempre quis. Mas o medo o receio instalou-se e não mais quero sentir porque sofrer acabou comigo. Ouço a tua voz...delicio-me com os convites que acredito serem puras brincadeiras porque se realidade fossem loucuras seriam. Loucura pura contigo ir viver...loucura seria contigo me deitar e conversar...Loucuras...Não quero sofrer.

Aprendi o silêncio com os faladores ...
A Tolerância com os intolerantes ...
A Bondade com os maldosos,
e, por estranho que pareça,
Sou grato a esses professores."

(Kahlil Gibran)

Sou grata a quem me fez sofrer porque sorrisos me fez nascer.

publicado por Mulher Especial às 01:40

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito

Sexta-feira, 11 de Junho de 2004

Encontro do rosto com as palavras

Wet Daisies2.jpg
Quando as palavras ganham rosto a timidez perde-se pelo fumo de mais um cigarro esquecido no cinzeiro que despreocupadamente descansava sobre a madeira escura. As palavras de angustia perdida, da ansiedade desmedida agora tem uma face, um rosto com um sorriso tímido e um á-vontade anormal que sempre me caracteriza.
E como um truque de magia ali estavam os pulsos cortados na areia tranquila de uma praia, a heroína ou a cobarde que foi capaz de um Homem matar ali estava eu.... era real aos olhos de quem por palavras conheceu a dor vivida, os sorrisos feitos.
Nada planeado e por isso tão desejado....nunca sonhado e por isso tao perfeito sem que a perfeição estivesse presente. Momentos de encontro das palavras com o corpo que as viveu, supreendente diria, um sorriso conseguir viver no meio de desejos que não quero mais exprimentar , desejos que não consigo imaginar...nem mesmo recordar....
E assim foi mais uma noite tão diferente nos recantos redescobertos do cais por entre Plenos momentos de Luar Triste perdido em gargalhadas e sorrisos com uma Escura Estrela que graciosamente iluminava quem por perto passava e a presença constante da delicadeza de uma voz que tanto harmoniza os cantinhos das letras por aqui espalhados neste novo mundo que comeca a arrebentar pelas costuras.

publicado por Mulher Especial às 14:37

link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito

Quarta-feira, 9 de Junho de 2004

Não aos desejos estupidos de morte

Nada mais me leva a acreditar que para o lado temos de olhar. A morte por nós têm passado todos os dias mas para o lado continuamos sem olhar. Perdemo-nos em mesquinhices de palavras sem sentidos se não de ofensa, da dor, da magoa no outro para o outro, como que violência gratuita atacamos tudo e todos. Uma vez mais a morte chega de um modo arrebatador que deixa a consternação geral. Perdemo-nos a deseja-la e contra mim falo, contra mim escrevo. Desejei a morte num momento, num espaço da minha vida com tanta força que quase a beijei para sempre sem que me tivesse apercebido do que perderia. Por motivos ocultos ou talvez não quiz a procurar antes de o meu tempo chegar e cada vez mais uma raiva cresce em mim para mim.
Desejamos a morte como seres estupidos e irracionais que a vida não sabemos amar, que a vida não sabemos ter. Contra mim me revolto por tempo em tempos ter perdido com tais sentimentos mesquinhos e sem sentido.
Mais uma morte quase em directo....Será que vamos acordar?..... Será que é desta que TU vais acordar e sentir?.... Quantas pessoas mais teremos de ver morrer deste modo abrupto para a vida comecarmos a viver, para o lado comecar a ver, para o resentimento esquecermos? Política a parte porque nela não me meto e dela aqui não discuto, foi mais um ser Humano que se foi quase em directo na TV.....Relembramos mais uma vez que um instante apenas é tudo o que precisamos para nada mais vermos, para nada mais termos, para não mais aqui estarmos. Por isso continuarei a viver de modo intenso como se este fosse o ultimo minuto. A magoa que todos os que no meu coração passaram tentaram deixar arranquei hoje com a força que me é característica, deixei-a ao vento para quem na magoa quizer viver e a morte desejar. Tantas são as mortes que vivemos, mortes de quem do nosso sangue é, de quem ao sangue de quem nos é querido pretence, tantas são as mortes que todos os dias se espalham nas páginas cinzentas, nos ecras a cores de tamanhos diversos....tantas são as mortes em directo...quase em directo e a morte continuamos a desejar....que seres somos nós se não irracionais, estupidos, egoistas na dor de quem perde realmente quem ama sem um momento breve de adeus.

As minhas palavras estão impregnadas de raiva e magoa podem provocar em vós mas esotu cansda de proa qui andar e ler palavras de desejos sinceros, de desejos vividos e tanto desejados de morte. Parem....olhem em volta...olhem o céu, as nuvens, o sol......percam-se por outras palavras mas não em desejos de morte porque quem neles se perde a vida deixa de viver.....Contra mim escrevo, contra mim falo por em momentos a morte ter desejado e estas palavras que aqui caem com as dores que sinto nos meus braços as guardarei para que no primeiro instante em que o fim, a morte quizer desejar logo o matar num movimento aniquilador.

Percam-se sem em perdões...em humildade..nas amizades...no apreender a conhecer o outro mesmo nos gestos tão incompreensíveis que os outros tem para conosco. Percam-se sim em lutar por quem Amigo/Amiga chamaram um dia....por quem chamam agora

publicado por Mulher Especial às 12:25

link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

Terça-feira, 8 de Junho de 2004

...

Vivi momentos mas as palavras não tenho deixado nascer. Muito mudou desde que a escrita e a leitura dos sentimentos alheio um vicio se tornou. Muitas sãoa s vezes em que me sinto a plagear quem leio no seu modo de escrever, nos seus moldos e por isso calo-me dentro de mim.

publicado por Mulher Especial às 15:50

link do post | comentar | favorito

Sábado, 5 de Junho de 2004

...

105187.jpg

publicado por Mulher Especial às 10:46

link do post | comentar | favorito