.mais sobre mim

.Ultimos Luares

. Escolher um caminho....

. encontro

. caminhos cruzados.....

. Simplesmente adeus...

. Renascer das Cinzas . . .

.Luares Passados

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Maio 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Luares Passados

Quarta-feira, 3 de Março de 2004

Luar . . .

Não vejo as palavras, os sentimentos que escrevo apenas os sinto a escorregarem pela caneta em linhas desalinhadas, por palavras mal escritas em tinta preta como as rochas que me sustentam. Nada importa, ninguém importa. Tinha medo de partir e de deixar alguém a chorar. Passou-se 3 horas desde que sai, passou 1 hora desde que escrevi e nada. Encontrei a minha casa mas faz frio, mal olho a Lua esta aquece-me.Tenho o mar como tapete, as estrelas como cobertor e a Lua como almofada. Nada me pertence, ninguém me quer, busco no meu telemóvel por um número, por alguém mas.... Resta-me apenas dormir olhando as estrelas e esperar que esta noite acabe sem que antes seja engolida pela maldade existente. Sou louca, estou louca mas não consigo viver e não consigo morrer, preciso de uma saída. Uma saída de emergência deste mundo, desta vida, deste presente sufocante e perturbante. "sinto-me só neste mundo a rebentar pelas costuras. Sinto dentro do peito a solidão quando em volta só vejo gente. A cabeça está vazia os pensamentos fogem com medo. As recordações de tão doridas, vividas ficaram cravadas no peito para sempre. Sinto-me só neste mundo onde os recursos começam a escassear Que solidão é esta que me consome? Que dor mantém as recordações vivas apenas me deu vontade de soltar a voz da solidão Onde estas tu minha salvadora minha inspiração, minha amiga, meu conforto. Onde estas tu Lua querida? Olho pela janela e não te vejo, não te sinto .Sinto-me só dentro de mim. Até o passado me abandona, aos poucos poucos as lembranças desaparecem sem deixar rasto. De que vou eu viver se não da dor que senti ao ser deixada? Não sei viver sem o passado. Sinto a minha alma só. Por onde vou caminhar agora que as estrelas não aparecem ao anoitecer. Por onde vou eu voar se não te vejo selena? Quero voar pelo mundo como fazia quando criança, vendo sonhos e amores.”

publicado por Mulher Especial às 19:12

link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De serranopedro2004 a 9 de Março de 2004 às 17:18
Luar, há sempre pelo menos um(a) amigo(a) que está disposto a ouvir a nossa voz, os nossos desabafos, pelo telemóvel. Lembra-te que os nossos amigos, nem sempre são os que nos dão o ombro para chorar. Beijinho.


De luar_triste a 3 de Março de 2004 às 23:01
Anne: obrigada espero que voltes e que continues a ler. Escrever sobre o que se sente sobre o que se vive é complicado. Beijo


De Anne a 3 de Março de 2004 às 19:19
Luar triste... muito bonito teus escritos, muito sentimento.Gostei de conhecer teu espaço e de te ler. Beijo.


Comentar post