.mais sobre mim

.Ultimos Luares

. Escolher um caminho....

. encontro

. caminhos cruzados.....

. Simplesmente adeus...

. Renascer das Cinzas . . .

.Luares Passados

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Maio 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Luares Passados

Terça-feira, 13 de Abril de 2004

Voando.....

hughes4new2.JPG




Sou alguém como tantas outras, diferente e igual a todas elas. Cada um de nós, que vivemos neste planeta chamado Terra, temos características que nos tornam iguais e temos pequenos detalhes que nos tornam diferentes. Um dos objectivos que temos na vida é descobrir esses pequenos detalhes e saber usa-los para a nossa felicidade e dos outros, se possível.

Cedo ou tarde descobri um dos detalhes que me distingue de todos os que me tocam e até dos que nem imaginam a minha existência. O simples desejo de tocar no céu, sentir nas mãos uma nuvem, de ser abraçada pela lua me fez voar. Não tenho assas, nem engenho mas saio voando todas as noites. Não importa onde esteja, como esteja, porque esteja, porque todas as noites saio voando pelos céus.

Voando.... Voando pelo mundo descoberto, por Países desencontradas, cidades desconhecidas, terras distantes. Voando...

Do alto sem me aperceber toco em dezenas, centenas de pessoas. Cada ponto de luz uma casa, uma pessoa, uma vida talvez duas, talvez mais, talvez nenhuma... Mais alto ainda pequenos pontos de vida fazem-me sonhar, chorar... sorrir. Fazem-me viver mais ainda do que aqueles que me são tão semelhantes.

Voando sem parar porque o que vejo é tão belo que me embriaga. Voando ao encontro do nada, do tudo. Todas as noites espero o renascer da primeira estrela para viver. Como uma coruja que espera a noite para caçar ...para viver. Saio voando pelo Mundo fora. Vejo quem amo, sinto quem me ama, observo o amor de quem desconheço, o ódio de quem não se conhece, as lágrimas de quem se encontra, a alegria de quem cria. Voando.....

Cada noite é única. Porque tudo muda. Pessoas envelhecem, cidades crescem, sentimentos transformam-se, indivíduos desaparecem, novos surgem. Tudo muda, nem sempre para um melhor caminho. Num ritmo descontínuo, tudo muda, nem sempre para caminhos melhores ... Aqueles pontos reluzentes apesar de tão pequenos crescem a um ritmo alucinante. O amor que observei deu lugar ao ódio, o ódio, de ontem, transformou-se em água, a água de uma qualquer altura conduziu ao amor. Tudo muda só meu voar se mantém.

Voando encontrei-te um dia sem te procurar. Mais tarde sai voando para te buscar, agora vou-o para não mais te encontrar.

Voando sobre o mar reencontro Selena (nome dado à lua), sua luz é tão grande que mesmo de olhos fechados a vejo. Apesar do seu ciclo repetitivo não está duas noites iguais. Como uma mulher bela surpreende a cada momento. Muitos são os seus amantes mas eu apenas uma admiradora da sua beleza Enfeitiçados por sua beleza muitos são os que lhe dedicam a vida, observando-a, estudando-a, contemplando-a, Mas em noites em que os eu esplendor é total, são poucos os que não são atingidos pelo seu luminoso feitiço. Foi numa dessas noites que quando sai voando a sua magia era tão forte que me conduziu a uma praia deserta. Sem qualquer dúvida aquele era o local ideal para contemplar tão grande beleza que conseguia ofuscar tudo o que pode-se existir. O mar parecia um grande espelho. Selena estava ali a escassos metros de mim, ao alcance da minha mão, do esticar de um dedo. Senti-me como se estivesse dentro dela, seu reflexo passava pelo meu corpo, envolvia-me. Dando-me coragem, força para v iver, para encarar as tristezas, os enganos as mentiras da vida. Mas tão grande beleza não deveria ser contemplada apenas do alto por isso desci dos céus e sentei-me na areia molhada. Senti o vento frio a trespassar o meu corpo como facas mas nem mesmo isso consegui tornar aquele momento desagradável ou menos belo.

Calmo e sem grandes ondulações o Mar parecia esperar-me. Sentada na areia fria via a lua no alto repleta de energia convidando ao ritual. Não necessariamente a um ritual religioso, pagão, satânico (por se tratar de sexta feira 13) Apenas um ritual, um ritual de agradecimento por tanta beleza, por poder estar ali um ritual do coração, um ritual para o Amor. Fechei os olhos e abstraí-me de todo o som que não tivesse origem naquele piano. Senti-me a deixar o corpo por breves instantes, de ir com o vento, de viajar como uma folha num dia de Outono. Se no início a melodia me parecia de amor, agora, que a minha concentração era plena, tinha certeza que era de dor, de tristeza, de revolta..... de lamento. O mar chorava a morte. A morte física de alguém que vivia dele, para ele, por ele. Alguém que o amava, adorava. Um Homem. Que apesar do grande conhecimento não conseguiu fugir da fúria do seu despertar e.......Por isso derramava lágrimas. Lágrimas de sangue e agora que estava oculto pela noite era maior a sua dor, as suas lágrimas, maior o seu lamento. Senti-me triste com sua tristeza e por isso deixei-me ficar ali caída na areia.

Antes de sair voando pelo mundo. Enquanto o ultimo raio de sol desaparece timidamente por detrás do amontoado de prédios, sonho contigo. Um “contigo” que desconheço que tem um rosto sumido, corpo disforme, personalidade oculta, nome desconhecido. Apesar de todas as incógnitas sonho contigo. Apesar de não conhecer os teus defeitos, o teu lado negro sonho contigo. Sonhos com os momentos de partilha, com o adormecer, com o despertar nos teus braços. Sonho. O stress, a falta de zelo de dois condutores acordaram-me do sonho. A noite tinha por fim chegado. Uma brisa acorda-me. Sonhar demais faz mal não nos deixa viver, não nos deixa tempo para lutar. Não devemos viver sonhando mas..............

............ ......... ......... ... ... .. ... ..........................................................................

Não quero voar. A tristeza apoderou-se de mim, sinto-me perdida. Dou um passo em frente mas nada ouço. Para que lado devo ir? Dá um grito, vida, para que te ouça, para que te consiga encontrar. Estou perdida nestas encruzilhadas em que tudo é igual. Não sei mais quem sou, o que procuro. Parei por fim e vi o abismo, estou dentro dele. Vejo pessoas desconhecidas falarem palavras que não ouço. Dentro do peito sinto um grito que se quer soltar para calar a voz do fantasma adorado.

Por fim amanheceu. A água já caia à muito. Acordo com os gritos histéricos das pequeninas gotículas de água que caem lá fora. O tempo não para eu ficar a contemplar a beleza do Inverno que chegara. Saio para a rua sem que por algum momento deixe de ouvir aqueles gritinhos. Por estranho ou mesmo absurdo que possa parecer não me incomodam. Multidões de gotículas batem no vidro do carro com raiva, violência. Como se o quisessem partir A pequena frecha de janela que mantenho aberta para que os vidros não embaciem é aproveitada por pequenos grupos de gotas para se atirarem violentamente contra mim.

publicado por Mulher Especial às 13:07

link do post | comentar | favorito
|

14 comentários:
De fallengod a 3 de Maio de 2004 às 20:57
Olá , já comentei a bocado mas entretanto iniciei tb um blog pq axei a ideia agradável... :) o meu blog tem o nome alma desiludida :)
http://almadesiludida.blogs.sapo.pt/


De fallengod a 3 de Maio de 2004 às 20:56
Olá , já comentei a bocado mas entretanto iniciei tb um blog pq axei a ideia agradável... :) o meu blog tem o nome alma desiludida :)


De Fallengod a 3 de Maio de 2004 às 20:18
Realmente não posso dizer que fiquei chocado , mas as palavras que li trespassaram-me como que facas ... mas incrivelmente não senti o seu horrivel penetrar , mas sim uma sensação de conforto , tinha a velocidade de balas e a agilidade de uma lamina, e o conforto de um coração que me faz sentir confortavel num mundo que não me sinto pretencer, onde o egoismo e orgulho prevalecem....:) obrigado por teres publicado estas palavras


De Fallengod a 3 de Maio de 2004 às 20:18
Realmente não posso dizer que fiquei chocado , mas as palavras que li trespassaram-me como que facas ... mas incrivelmente não senti o seu horrivel penetrar , mas sim uma sensação de conforto , tinha a velocidade de balas e a agilidade de uma lamina, e o conforto de um coração que me faz sentir confortavel num mundo que não me sinto pretencer, onde o egoismo e orgulho prevalecem....:) obrigado por teres publicado estas palavras


De Luar_triste a 15 de Abril de 2004 às 12:19
Angeliser, obrigada é o unico texto que escrevi que tnehoa pertensãod e dizer é bonito...lindo...é muito facil voar, acredita...tens apenas que desejar...de te deixares voar...de te deixares seduzir pelo que de belo existe e retribuir com beleza...beleza de momentos que podes proporcionar...com beleza de gestos...de atitudes...de momentos...Beijos


De Luar_triste a 14 de Abril de 2004 às 23:30
Xzip, nada tens agradecer...eu apenas não coloco mais textos porque tenho um conceito de auto critica muito grande relativamente ao que escrevo e acabo por detestar sempre todas as palavras que deixo cair. As tuas palavras deixaram-me a sorrir...existem momentos em que desanimo com os sonhos que tenho, confesso..voar...escrever foi/é um desses sonhos...mas aos poucos estou a redescobrir o encanto que tem para mim. Hoje voei ate um lugar especial irei escrever em breve sobre ele prometo. Beijinhos Obrigada e volta


De angeliser a 14 de Abril de 2004 às 23:30
Quem me dera poder voar e tocar na lua abraça-la, sentir todo quele calor e magia, deixar issto td entrar pelo meu corpo, pela minha alma.
Bonito texto :) **********


De Luar_triste a 14 de Abril de 2004 às 23:22
Anne, Obrigada pela tua visita anne...voar é tudo isso e muito mais hoje voei ate uam terra um pouco distante escreverei sobre este voo em breve...Beijinhos


De Xzip a 14 de Abril de 2004 às 20:25
O prometido é devido, e desde já agradeço por teres dado a oportunidade de nos regogizar com o teus sonhos. Podes não conseguir realmente voar, mas enquanto essa tua imaginação e capacidade de sonhares acordada se mantiverem contigo, vais continuar a voar todas as noites por locais que ainda não imaginaste, nem sonhaste, nem desejas, ainda. Escreves muito bem, e tens uma capacidade de levares quem te lê aos teus paraisos nocturnos que não é vulgar. E vejo que tens mais visitas no teu cantinho. é agradável que digam coisas bonitas dos nossos sonhos. Fica bem, e sonha muito. Com Selena e as estrelas, mas não nas sextas-feiras 13... Bjs.


De Anne a 14 de Abril de 2004 às 19:35
Adorei teu texto, muito bom! Voar é alcançar o que a imaginação pode criar. Adoro voar, sonhar, ir além... Beijinhos linda.


Comentar post