.mais sobre mim

.Ultimos Luares

. Escolher um caminho....

. encontro

. caminhos cruzados.....

. Simplesmente adeus...

. Renascer das Cinzas . . .

.Luares Passados

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Maio 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Luares Passados

Terça-feira, 11 de Maio de 2004

Uma Conversa com a morte

ec7276-001.jpg
Hoje tive uam comversa coma morte ia andando pelas ruas de chuva solta e livre das amarras que sem nucna ter sentido me amarraram num mundo para um mundo desconhecido....mundo onde descobri a palavra angustia...a dor verdadeira....o desespero sentido...andando pela rua destribuindo os sorrisos de quem esteve anos preso numa gaiola em amarra de ferro e com uma força inesperada consegiu soltar-se....libertando-se....por foim...ganhando as asas que sempre tive....
Encontrei a morte numa esquena enquanto a água caía levando os sorrisos....Sentei-me a uma mesa e um chá bebi em companhia da morte perdida....
Não deixei de sorri nemd e calma sentir....A vida temos de viver....os segundos temos de agarrar porque a morte pode vir de noite na calada, na luz do stress....
As malas temos de ter....as malas prontas tem de estar...feitas sempre tem de ser porque a morte pode nos vir buscar....
O tema da morte é sempre visto com grande preplexidade e muito pouco avontade....para mim é tão natural que dentro daquele espaço me sinto em paz...dentro daquele espaço quero ficar sempre que entro....

publicado por Mulher Especial às 03:17

link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De luar_triste a 13 de Maio de 2004 às 22:07
Visa...tu podes flar com a morte e não são necessárias lágrimas ou desespero...basta que tenha consciente...que tenhas as malas feitas...prontas...beijinhos


De luar_triste a 13 de Maio de 2004 às 22:06
Menezes...é uam frase linda e profunda já a conhecia e com toda a verdade nela...beijinhos


De luar_triste a 13 de Maio de 2004 às 22:03
Neon...este tema surgiu durante uma aula minha e as palavras comecaram a nascer no papel como a água a brotar da terra...eu tneho uam relação especial ou melhor uma relação diferenciada com a morte cemitérios...etc...muitas vezes evito flar dela porque sei que é complicado ouvirem o que penso o sinto como vejo tudo o que a morte envolve...Beijinhos...

P.S. mandei-te um mail não me lembro do que te tinha prometido...sorry responde-me ou envia um....o mail esta no blog...


De visa a 13 de Maio de 2004 às 14:51
perco-me em palavras...
perco-me geralmente nas palavras é verdade. como umnica forma racional que tenho de explicar determinadas coisas. sentimentos exprimidos em papel sabem sempre melhor sem olhares e reacções indiscretas.
De qualquer forma.... gostei imenso da "morte".
quando beberes novamente chá com ela fala-lhe de mim...


De Menezes a 11 de Maio de 2004 às 18:10
I wake up every morning at nine and grab for the morning paper. Then I look at the obituary page. If my name is not on it, I get up.
Benjamin Franklin

(so tem medo de enfrentar a morte quem nao tem certeza que a vencera...) a paz, é sempre uma recompensa tão saborosa... =)



De Neon a 11 de Maio de 2004 às 17:39
Olá Luar Triste! Por acaso um bom tema para discutir, e pelas tuas palavras ficou optimo. No dia a dia, as pessoas vivem basicamente do stress, sempre a correr pó emprego, a deixar os filhos nas escolas, chegam a casa é o jantar... nunca á tempo para a familia... nunca há tempo para as pessoas que verdadeiramente amamos. Todo o tempo deveria ser aproveitado, pois nunca se sabe quando a morte nos convida para um chá. E aí sim, damos valor ao que realmente nos interessa. Aí teremos algum sentido de culpa de nunca darmos atenção, daquela que não se esperava ser a ultima vez, foi a ultima vez em que não se aproveitou para dizer nada. Encontro um casalinho de namorados (e mesmo eu quando vou com a minha gatinha), estes é que tem o seu momento de atenção espeçial e tempo para dizer amo-te. Um beijo enorme! PS: Não te esqueças do mail...


Comentar post