.mais sobre mim

.Ultimos Luares

. Escolher um caminho....

. encontro

. caminhos cruzados.....

. Simplesmente adeus...

. Renascer das Cinzas . . .

.Luares Passados

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Maio 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Luares Passados

Quinta-feira, 28 de Setembro de 2006

Olhos que se fecham

Com as palavras secas-te meus olhos, teus gestos contraditórios me fizeram viajar até ao passado da dor de outro ser . . . teus gestos vão em sentido contrário de tuas palavras . . . tuas palavras trocam-se e perdem-se em contradições. Será medo o que sentes, será um jogo que te esqueces-te de mencionar??? Não entendo e começo a não querer entender . . . não quero confusões . . . apenas sorrir, boa disposição . . . não vou competir. . . os meus olhos estão secos pelo passado e por ti lágrimas já derramaram . . . meus olhos querem-se fechar  . . .


publicado por Mulher Especial às 12:18

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Quinta-feira, 21 de Setembro de 2006

O preço de um abraço . . . de um beijo

 a simplicidade que a vida têm leva-nos a esquecer de pormenores tão importantes . . .o toque cada vez ficou mais distante . . . quando um problema existe tudo desaparece . . . o aconchego de um beijo, o conforto de um abraço foi deixado lá atrás quando éramos pequeninos. . . terei de nunca mais precisar do conforto, do aconchego?. . . terei de caminhar pelos sustos, pelas preocupações sem sentir a necessidade daquele conforto. . . daquele aconchego? é necessário a  morte entrar pela porta da frente para que a vergonha de dar um pouco de conforto desapareça. . . uma vez mais a minha boca não calei e pedi . . . pedi porque senti sem que a razão, a justificação racional existisse . . . o que obtive foi o fim. Todos os fins são um principio de um pedacinho de mim que se constrói . . . palavras estas deixadas sem nexo sem coerência


publicado por Mulher Especial às 13:40

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 10 de Setembro de 2006

a loucura regressou . . .

 

Como que do nada uma enchente de solidão me derruba . . . acontecimento anual ao qual não consigo nem quero me acostumar. . .Se o meu maior medo tivesse que revelar diria-te que é esta solidão atroz que me possuí todos os anos da mesma forma avassalador deixando-me louca. . . solidão que transporta de forma suave  a insanidade, os pensamentos descabidos. . . os desejos desmedidos . . .queria . . quero ligar-te, dizer-te abraça-me sem nada perguntares preciso apenas do calor de um corpo . . .sentir a segurança de uns braços que não me deixaram cair no abismo que vivi um dia. . .Porque não ligas perguntas tu voz desconhecida . . .o medo da resposta . . . da ausência de sinal . . da repetição do passado leva-me a conter-me.

Agarro-me ao chão como uma velha arvore cansada das tempestades que procura viver pelo menos mais um outono. . .


publicado por Mulher Especial às 22:01

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|