.mais sobre mim

.Ultimos Luares

. Escolher um caminho....

. encontro

. caminhos cruzados.....

. Simplesmente adeus...

. Renascer das Cinzas . . .

.Luares Passados

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Maio 2008

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

.Luares Passados

Quarta-feira, 30 de Agosto de 2006

Viste-me morrer

Viste-me morrer. Uma morte lenta como quem toma todos os dias um pouco do veneno sem nunca saber se aquela será a ultima dose. Acolhes-te-me no teu leito envolvendo-me com os teus braços quase sempre frios mas sempre capazes de me aconchegar meu coração dorido. Viste as minhas lágrimas caírem em ti, os meus pensamentos absurdos guardas-te sem nunca os teres renegado. Viste-me morrer sem uma palavra dizeres, sem que me mandasses parar com loucura de palavras. Sabias que quando o vazio se apoderava de mim apenas o teu caminho conhecia...quando a  loucura me possuia só perto de ti a sanidade recuperaria. A porta deixavas sempre encostada para que junto de ti me deitasse naquelas horas tardias que em lado algum mais seria recebida. Deixaste-me dormir junto a ti, entrelaçada em teus braços frios tantas vezes que a conta perdi. Viste-me morrer e nada disses-te porque sabias que iria renascer. Guardas-te em ti o segredo deste renascimentos de vida, desta alegria de viver, desta gargalhada que agora sou. Mas de ti preciso ainda... meu coração necessita do teu leito, dos teus braços frios...a loucura que agora tenho em nada pertence ao passado . . .uma loucura que me faz rir, que faz os outros rir. . .uma loucura simples. Viste-me morrer aos poucos, agora que renasci poderia dizer que não preciso mais de ti, mas não te posso mentir e basta junto de ti estar para sentir que nunca estarei longe, nunca poderei partir daqui. . .tua casa é minha casa, teu leito é o meu leito apenas nele a noite passa por mim sem tormentos . .. junto de ti ficarei ate que os meus dias sejam os nosso últimos dias

sinto-me:

publicado por Mulher Especial às 17:14

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sábado, 26 de Agosto de 2006

Novo Caminho

As palavras não morrem jamais, escondem-se em cantos escondidos por preocupações diárias do comum mortal. As palavras?! pergunto-me por elas todos os dias, aquela música recorda-me os tempos de escrita intensa de palavras sentidas de forma tão especial e real que ainda hoje não consigo explicar Como hoje os meus pulsos cortei...A dor de outros tempos, a magoa provocada por acções de outros foi naturalmente substituída por gargalhadas, risadas descontroladas. Como uma gota de vermelho intenso que cai perdida no oceano e desaparece assim desapareceu a minha capacidade de sentir a dor de uma traição, a magoa de uma mentira. Reviver o passado apenas quando as memórias nos vão fazer rir, para quê reviver os maltratos de pessoas insignificantes? A traição de quem é pequeno? Recordar paixões apenas pode trazer a melancolia por terem terminado. Escrever ou descrever que estou apaixonada pela vida que apesar das contrariadades que volta e meia a vida nos entrega de bandeja é demasiado banal....As palavras continuo a senti-las dentro de mim acho que vou ter de encontrar um novo caminho para as descarregar de dentro de mim...


publicado por Mulher Especial às 12:16

link do post | comentar | favorito
|